​Últimas Notícias

A eurodeputada do PS, Sara Cerdas, questionou o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Dr. Tedros Adhanom, sobre as medidas de contenção aquando de uma possível segunda vaga do surto COVID-19 na União Europeia, durante uma audição que decorreu esta tarde na Comissão de Saúde Pública, Segurança Alimentar e Ambiente (ENVI) do Parlamento Europeu.

A presença do diretor-geral da OMS no Parlamento Europeu surgiu após um convite endereçado pela própria eurodeputada, numa reunião que ocorreu no início deste mês.


Perante o contínuo aumento de novos casos a nível global e a situação de planalto em que se encontra a União Europeia, assim como a possibilidade de uma nova onda de infeções, a eurodeputada usou a oportunidade para questionar “como é que a OMS está a preparar-se para uma possível segunda vaga e como poderemos preparar-nos para mitigar as consequências desse evento”, e ainda “como podemos incentivar os cidadãos a continuar com as medidas de proteção contra o COVID-19”.

Sara Cerdas questionou também o diretor-geral da OMS sobre quais os maiores constrangimentos que esta instituição encontrou na luta contra o COVID-19, quais as lições retiradas, deixando o alerta que devemos continuar uma apertada vigilância epidemiológica e reforçar as ações para proteger a saúde, de forma a reduzir os novos casos e garantir a capacidade dos sistemas de saúde.


Na ocasião, destacou ainda a importância do trabalho de cooperação entre as diferentes instituições e congratulou Dr. Tedros por “incentivar o vínculo interinstitucional”, por trazer mais e melhor evidência à elaboração de políticas de saúde e por manter aberto o diálogo entre a OMS e o Parlamento Europeu.


Sara Cerdas promove ainda, ao final do dia, um debate com representantes de altos cargos de saúde internacionais, durante uma reunião do Grupo de Trabalho em Saúde, ao qual preside, que abordará o tema do COVID-19: vacina, tratamento e a resiliência dos sistemas de saúde.


A eurodeputada aguarda com grande expectativa o contributo do painel de especialistas, que conta o diretor da Agência Europeia de Medicamentos, Prof. Guido Rasi, a Diretora do Departamento de Saúde Pública da OMS, Dra. Maria Neira, o diretor do Observatório Europeu de Sistemas e Políticas de Saúde da OMS, Dr. Josep Figueras, a diretora do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC), Dra. Andrea Ammon, e o cientista-chefe desta instituição, Prof. Mike Catchpole.


60 visualizaçõesEscreva um comentário

Sara Cerdas inquiriu hoje a Comissária Europeia com a pasta da Saúde, Stella Kyriakides, sobre a estratégia europeia para a vacinação contra o COVID-19 e distribuição pelos Estados-Membros, durante uma reunião da Comissão de Saúde Pública, Segurança Alimentar e Ambiente (ENVI) no Parlamento Europeu.


Nesta troca de pontos de vista, a socialista apelou a uma estratégia e coordenação da Comissão Europeia para a distribuição de uma eventual vacina, de modo a garantir que todos os Estados-Membros e cidadãos europeus têm acesso à vacina e que ninguém é deixado para trás. “Precisamos de uma vacina segura e efetiva, desenvolvida através de um processo transparente, e que quando estiver disponível, seja acessível a todos. Questiono assim qual é a estratégia da Comissão Europeia para a distribuição desta vacina pelos Estados-Membros, e quais serão os critérios de prioridade, se terão em conta a situação epidemiológica dos Estados-Membros, e se haverá alguma estratégia para priorizar os grupos de risco e os mais vulneráveis no acesso à vacina?”.

Stella Kyriakides não respondeu à pergunta da eurodeputada socialista nem a de outros eurodeputados relativamente à acessibilidade e estratégia de distribuição. No entanto, informou que a Comissão Europeia está neste momento a trabalhar com diferentes empresas responsáveis pelo desenvolvimento de vacinas e tecnologias de produção em massa, com o objetivo de acelerar o desenvolvimento de uma vacina eficaz contra o COVID-19. Porém, refere que ainda não é possível estimar quando a vacina estará pronta, mas que os esforços estão a ser feitos para agilizar o processo. A Comissária apelou ainda ao sentido de solidariedade e interajuda entre os Estados-membros.

Sara Cerdas, que neste momento está a trabalhar na proposta legislativa para o programa de saúde europeu, congratula a Comissão Europeia pela iniciativa da conferência de doadores que já angariou desde o mês passado 9,8 mil milhões de euros, de modo a assegurar o desenvolvimento, produção e acesso equitativo às vacinas, à qual Portugal também já cooperou com o esforço de 10 milhões de euros.


25 visualizaçõesEscreva um comentário