Cobertura da vacinação em debate no Parlamento Europeu

Sara Cerdas foi ontem coanfitriã num evento sobre a vacinação sazonal contra a gripe, organizado pela Vaccines Europe, no Parlamento Europeu. O evento visou o debate sobre a meta da União Europeia para a cobertura da vacinação de 75%, nos grupos de risco e pessoas com mais de 65 anos, 10 anos após a Recomendação do Conselho.

A eurodeputada socialista utilizou o caso de Portugal como exemplo de sucesso neste âmbito. “Em 2017, Portugal foi o terceiro país da União Europeia com a cobertura de vacinação mais alta, tendo atingido 60% das pessoas. Vários esforços são feitos pelo estado português para que este resultado seja possível: a Direção Geral de Saúde (DGS) todos os anos emite uma norma com recomendações para a vacinação dos grupos de risco, sendo a vacinação gratuita para a maioria, incluindo profissionais de saúde; existem equipas de vacinação responsáveis pela gestão a nível local, regional e nacional; e ainda são disponibilizadas vacinas nas farmácias, mediante receita médica, para a restante população, sendo o valor comparticipado pelo Estado. Porém, porque ainda não atingimos a meta proposta, e dada a importância da vacinação, precisamos de unir esforços e promover a literacia em saúde, através de ações de sensibilização que permitam desmitificar e consciencializar os cidadãos quanto à importância e segurança da vacinação", referiu.


Em 2019, o estado português disponibilizou 2 milhões de vacinas, destas 1,4 milhões foram gratuitas e 600 mil para venda em farmácias, com o valor a ser comparticipado pelo Estado em 37%. Em alguns Estados-Membros da União Europeia a cobertura da vacinação é inferior a 10% (EuroStat), sendo que a cobertura em Portugal varia entre os 60 a 65% anualmente.