Parlamento Europeu aprova resolução de Sara Cerdas acerca da digitalização em saúde

Hoje, no Parlamento Europeu em Estrasburgo, Sara Cerdas viu aprovada a resolução “Transformação digital dos serviços de saúde e de prestação de cuidados”, da qual é autora em nome da Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar (ENVI). O Parlamento Europeu atribuiu assim parecer positivo a esta resolução que visa agilizar os processos da transformação digital dos sistemas de saúde dos Estados-Membros da União Europeia. 


O documento integra 23 compromissos, acordados entre os diferentes partidos políticos, que alertam para a necessidade de incentivar a utilização e desenvolvimento dos meios digitais nas diversas fases de uma visão integrada dos cuidados de saúde, nomeadamente na prevenção de doenças, deteção e diagnóstico atempados, tratamento, cuidados e acompanhamento, sem esquecer a formação dos prestadores de cuidados e dos profissionais de saúde.


Segundo Sara Cerdas estes compromissos “são ferramentas que auxiliarão um diagnóstico mais célere, preciso e exato, podendo atuar em estados de doença mais precoces, bem como contribuir para a diminuição dos custos associados à doença. Defendo aqui a criação de uma visão europeia comum entre os Estados-Membros para o futuro da prestação de cuidados em saúde, que obviamente passa por uma modernização e profunda transformação digital dos seus sistemas. Nesta resolução, alertamos para as oportunidades e os desafios da era digital e dos sistemas de saúde, bem como para a importância de um trabalho de cooperação entre os Estados-Membros, tendo em conta as suas diferentes realidades. A solução passa pela transformação digital, com o seu enorme potencial de promover a saúde, prevenir a doença, sempre numa ótica do cidadão no centro do sistema”.


A eurodeputada socialista acrescenta ainda que "a Madeira poderá servir como exemplo de boas práticas na partilha de dados em saúde e estar na linha da frente neste âmbito. Dispõe de potencial para desenvolver mais ferramentas, no sentido de facilitar a troca de dados e partilha de informações, em especial com o sistema nacional de saúde no Continente. Através de um sistema de digitalização será possível contribuir para um melhor acompanhamento dos doentes que necessitam de cuidados fora da região e, adicionalmente, a digitalização em saúde poderá ser uma aliada na vigilância da saúde e das ameaças à saúde pública, como por exemplo na construção de algoritmos para a deteção precoce da época de gripe ou de surtos como o Dengue, otimizando a organização dos serviços de prestação de cuidados".


No debate acerca desta resolução, que decorreu durante o dia de ontem, Sara Cerdas defendeu junto da Comissária Stella Kyriakides, responsável pela área da saúde, os seus vários pontos, entre eles uma maior capacitação dos profissionais de saúde para as soluções digitais, uma maior literacia em saúde para os cidadãos, o reforço da cibersegurança e a necessidade de reduzir os riscos de violação de privacidade. Durante o debate Sara Cerdas afirmou que “a garantia da qualidade dos cuidados e acesso de saúde dos cidadãos europeus é de extrema importância para o Parlamento Europeu e, em particular, para a Comissão ENVI” e questionou a Comissão Europeia sobre os próximos passos, nomeadamente de que forma tenciona garantir a confidencialidade dos pacientes em cada fase do processo.


Sara Cerdas questionou ainda a Comissão Europeia sobre como esta prevê assegurar que os profissionais dos cuidados de saúde possuem as qualificações e competências digitais adequadas, e como irá ajudar os Estados-Membros a assegurar a disseminação do conhecimento e das aptidões necessárias por parte dos cidadãos e pacientes que utilizam recursos digitais no âmbito da saúde. As outras perguntas à Comissão relacionaram-se com a garantia da segurança no acesso pelos pacientes aos seus dados e a informação no processo de tomada de decisão dos profissionais de saúde em matéria de escolhas terapêuticas, tratamento e cuidados.


Consulte a Resolução aqui.