Sara Cerdas alerta para risco do aumento das desigualdades sociais

O Parlamento Europeu debateu esta tarde as iniciativas da União Europeia (UE) para fazer face ao aumento do custo de vida, incluindo a aplicação do Pilar Europeu dos Direitos Sociais. À margem do debate, Sara Cerdas alertou para o risco do aumento das desigualdades sociais face à atual escalada de preços, especialmente em regiões, como a Madeira, onde as percentagens de risco de pobreza já eram das mais elevadas na UE.


“A Madeira tem uma percentagem de pessoas em risco de pobreza muito acima da média da UE e nacional - 27,8%. A inflação e o aumento dos preços da energia já estão a ter impactos na vida das famílias e das empresas, pelo que é necessário a UE conter e mitigar esta situação, mostrando liderança neste processo e tirando partido dos instrumentos que tem ao seu dispor, nomeadamente o Fundo Social Europeu (FSE). Importa apoiar estas regiões na aplicação do Pilar Europeu dos Direitos Sociais e no cumprimento dos objetivos da Cimeira do Porto.”


“Lutar pelo aumento da taxa de emprego e a redução do número de pessoas em risco de pobreza e exclusão social, promover a igualdade e a inclusão, reforçar a dimensão social da Europa para também enfrentar os desafios ligados às alterações climáticas e à transição digital, deve continuar a manter-se no topo das prioridades”, afirma Sara Cerdas.


A eurodeputada enalteceu ainda o papel que a Presidência Portuguesa do Conselho da UE teve, através da Cimeira Social do Porto, ao recolocar as questões do bem-estar social no topo da agenda política. “Após um ano, o desígnio mantém-se, agora exponenciado pela guerra, de até 2030 empregar 78% da população em idade ativa (20-64); participação de 60% de todos os adultos em ações de formação pelo menos uma vez ao ano; e menos 15 milhões de pessoas em risco de pobreza ou exclusão social.”