Sara Cerdas alerta que esta é também a segunda onda de desinformação

Sara Cerdas inquiriu hoje a Comissão Europeia sobre a estratégia para aumentar a confiança dos cidadãos europeus na vacina contra a COVID-19 e assim combater a desinformação.

Sobre a hesitação em vacinar por parte dos cidadãos, a eurodeputada considera que ao mesmo tempo que  atravessamos uma segunda onda de casos COVID-19, vivemos uma segunda onda de desinformação. “Os números não estão a nosso favor, estamos a lidar com a fadiga em relação às medidas, e ainda temos um número alto de europeus que não querem ser vacinados. A Comissão Europeia deve trabalhar em conjunto com os Estados-Membros para contrariar esta tendência”, apelou e solicitou mais informações quanto à estratégia vacinal.


A deputada ao Parlamento Europeu tentou ainda compreender qual será o papel da Comissão Europeia para ajudar os Estados-Membros a prepararem-se para a distribuição da vacina e alertou para a importância na partilha de informações, questionando se a Comissão irá recolher informação sobre a forma como os Estados-Membros vão ser organizados e se irá partilhar esta informação com as partes interessadas, para que consigam preparar-se com a devida antecedência e de forma coordenada.

Sara Cerdas admite que a transparência de informação nesta matéria poderá contribuir para otimizar e preparar a sua distribuição, acelerando assim a chegada da tão esperada vacina ao mercado e aos cidadãos.


Sandra Gallina, Diretora-Geral da DG Santé, prevê o mês de abril como possível data para iniciar a distribuição de um elevado número de doses de vacinas. Sobre a estratégia de distribuição que cada Estado-Membro irá adotar, recai sobre a percentagem de imunidade pretendida por estes, sendo que a prioridade da Comissão neste momento é assegurar que a vacina é segura.

As questões decorreram no seguimento de uma troca de pontos de vista com a Comissão Europeia, na Comissão de Saúde Pública, Segurança Alimentar e Ambiente (ENVI), onde o debate focou a vacina contra a COVID-19.