Sara Cerdas congratula-se com acordo sobre o orçamento da União Europeia

O Parlamento Europeu e a presidência alemã do Conselho da União Europeia, passados meses de negociações, chegaram hoje a acordo sobre o orçamento da União Europeia, o próximo Quadro Financeiro Plurianual (QFP) para 2021-2027, e o pacote de recuperação europeu “Next Generation EU”.

Sara Cerdas realça o papel do grupo dos socialistas e democratas no Parlamento Europeu, no sentido de pressionar o Conselho a aprovar um orçamento virado para as pessoas. “Este QFP tem de garantir que as pessoas são uma prioridade e por isso deve responder às atuais necessidades. Estamos a viver uma crise sem precedentes, provocada por uma pandemia, por isso urge uma resposta eficaz e rápida”.  A Eurodeputada destacou o papel da sua colega Margarida Marques em todo o processo de negociação, no sentido de “defender os diferentes Estados-Membros e regiões, nomeadamente as regiões ultraperiféricas, e ao mesmo tempo em garantir um orçamento progressista, ambicioso e centrado nas necessidades dos cidadãos da UE”. Margarida Marques revela que “desde o primeiro dia, o Parlamento Europeu tem-se esforçado e trabalhado de forma construtiva para apresentar aos europeus políticas mais fortes e a longo prazo! Este é um orçamento com políticas reforçadas que irão perdurar e servir as gerações futuras, além da pandemia e da crise”. No pacote político acordado, revela Margarida Marques, “será reforçado em 16 mil milhões de euros para o financiamento dos programas emblemáticos da UE”. Sara Cerdas, que é relatora do programa europeu para a saúde - EU4Health - congratula o aumento do orçamento do programa, em 3.4 mil milhões, comparativamente à proposta do Conselho no valor de 1.7 mil milhões. “A saúde deve ser um investimento. Por cada euro que é investido em intervenções em saúde pública, existe um retorno de 14 euros. Este é o investimento em saúde que nos permitirá alcançar maiores ganhos para a saúde das populações a longo prazo.” “A saúde mental, que inclusive hoje debatemos no grupo de trabalho em saúde, deverá ser alvo de investimento por parte deste programa, que coloca no seu cerne a saúde em todas a políticas. É um exemplo de que se não investimos hoje, e apostarmos na prevenção,  os gastos em saúde serão muito superiores”, refere a socialista.