Sara Cerdas defende salvaguarda de postos de trabalho na transição para turismo sustentável

Sara Cerdas quer que a União Europeia desempenhe um papel mais ativo na garantia de uma transição sustentável para o setor do turismo, através de uma aposta em apoios e políticas específicas que salvaguarde as empresas e os postos de trabalho durante a transição. A intervenção ocorreu esta tarde durante uma audição pública, subordinada ao tema “Preparar o setor de turismo para o futuro: desafios e oportunidades”, no âmbito da Comissão de Transportes e Turismo (TRAN) do Parlamento Europeu.


A eurodeputada abordou o tema da sustentabilidade no setor do turismo, referindo-se à Madeira, região ultraperiférica onde o turismo representa 1/4 da sua economia, como exemplo para alertar para a importância que esta transição representará na economia e na vida das pessoas e empresas.


Sara Cerdas, assim como o seu grupo político no Parlamento Europeu, tem alertado, em diferentes situações, para a necessidade de uma visão e uma estratégia abrangente para o setor do turismo - e não apenas para a recuperação. A estratégia deverá passar, inequivocamente, pela sustentabilidade do mesmo.


A atual crise provocada pela COVID-19 apresenta a possibilidade única de alavancar os efeitos negativos do “turismo de massa”, transformando-o em alternativas, como o turismo sustentável ou o turismo rural, alinhado aos objetivos de combate às alterações climáticas definidos pela UE, conservação da biodiversidade e cumprindo o Pacto Ecológico Europeu.


A reconversão dos postos de trabalho e a requalificação dos trabalhadores deve ser uma prioridade no quadro de um turismo sustentável, no sentido de salvaguardar os postos de trabalho e criar uma nova geração de trabalhadores no turismo, mais qualificada e com melhorias salariais.


Na audição pública, que decorreu no Parlamento Europeu, estiveram presentes diversos representantes de instituições ligadas ao setor do turismo, entre eles Thomas Ellerbeck, diretor de relações externas no Grupo TUI, Morgan Foulkes, diretor geral da ACI EUROPE e Tony Zahra, Presidente da Fundação Turismo do Mediterrâneo.