Sara Cerdas defende solidariedade europeia para com a América Latina

Esta semana, no âmbito da Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana, os eurodeputados estiveram reunidos, em conjunto com especialistas e deputados das diferentes regiões da América Latina, a fim de debater o desenvolvimento de estratégias para mitigar o impacto da pandemia COVID-19 na Europa e na América Latina.

Sara Cerdas, na ocasião, apelou a um esforço da União Europeia para com estes países, no âmbito da iniciativa COVAX, que visa acelerar a distribuição massiva de vacinas em regiões mais desfavorecidas, e elogiou os serviços da Agência Europeia de Ação Externa da UE que mostram “sem precedentes total solidariedade”.

A eurodeputada do PS considera, no entanto, que “a Comissão Europeia deve mobilizar o Mecanismo de Proteção Civil da UE e outros fundos de solidariedade, em conformidade com o quadro financeiro plurianual 21-27, a fim de auxiliar os países da América Latina a combater a pandemia”, e que “é necessário ainda reforçar a cooperação birregional UE - América Latina e melhorar as capacidades de preparação e resposta”.

“A América Latina entrou em 2020 como a região mais desigual do mundo e esta situação só se agravou no contexto da pandemia. Os países da América Latina foram dos mais afetados, não só viram os seus sistemas de saúde colapsar, como as suas fragilidades e desigualdades sociais e económicas mais expostas”. Sara Cerdas considera que a UE deve ser um aliado e um parceiro responsável no apoio à sua recuperação e que a vacinação, com vista à imunidade de grupo, deve ser um objetivo comum e global.

A União Europeia, através da “Equipa Europa”, é um dos principais financiadores da COVAX - ao todo apoia com 2,2 mil milhões de euros (aos quais acrescem mais 900 milhões de euros prometidos pela Alemanha). No âmbito da primeira ronda de distribuição de vacinas pela COVAX, prevê-se que 31 países da América Latina e das Caraíbas recebam nos próximos meses mais de 27 milhões de doses de vacinas.