Sara Cerdas insiste em maior transparência da UE na aquisição de vacinas COVID

Sara Cerdas questionou a Comissão Europeia sobre a falta de transparência que permanece na aquisição de vacinas contra a COVID à Diretora-Geral para a Saúde e Segurança Alimentar (DG SANTE), Sandra Gallina, durante uma audição que decorreu ontem no Parlamento Europeu.


“Quanto é que a União Europeia e os Estados-membros pagaram até à data pelas doses de vacina? Quanto é que foi pago sob a forma de pagamentos antecipados?”, questionou Sara Cerdas em sede de comissão especial COVID, à qual assume o cargo de coordenadora pelo grupo dos socialistas - sem encontrar uma resposta por parte da responsável.


A eurodeputada considera que os procedimentos de aquisição conjunta iniciados pela Comissão Europeia foram fulcrais para lidar com a pandemia e garantir a disponibilização de vacinas, mas, em contrapartida, um dos erros que permanece é a falta de transparência nos contratos com as empresas que disponibilizam as vacinas, em especial no que diz respeito ao preço praticado por unidade.


Até junho de 2022, a Comissão Europeia obteve 4,625 mil milhões de doses de vacinas contra a COVID, das quais aproximadamente 50% são doses asseguradas, e 50% são doses opcionais. De acordo com o Tribunal de Contas Europeu (TCE), os contratos realizados valem, no total, 71 mil milhões de euros.


Sara Cerdas, que tem criticado a Comissão desde o início da pandemia pela falta de transparência, estranha o procedimento de negociação adotado e espera que, no futuro, a comissão especial criada pelo Parlamento consiga propor alterações às atuais práticas.