top of page

Sara Cerdas quer mais financiamento para a saúde mental na UE

Sara Cerdas lidera o primeiro relatório do Parlamento Europeu sobre Saúde Mental, hoje aprovado em plenário com 482 votos, 94 contra e 32 abstenções. A eurodeputada pede financiamento direto para a saúde mental e a criação do Ano Europeu da Saúde Mental.



“O propósito central deste relatório assenta na necessidade de aumentar significativamente o apoio financeiro direto para a saúde mental na União Europeia, através do programa Horizonte Europa, com a implementação de uma missão especificamente dedicada à saúde mental. Pedimos também a criação de uma Estratégia Europeia para a saúde mental com indicadores definidos e métricas que orientem a criação de um quadro jurídico para futuras diretivas e regulamentos, bem como estratégias nacionais adaptadas à realidade de cada Estado-Membro.”

 

A Eurodeputada do PS aponta que é necessário mais ação nesta matéria e que a UE tem um papel a desempenhar a este respeito. “O acesso aos cuidados de saúde mental, pelos custos financeiros, não estão ao alcance de todos os que deles precisam. Este relatório descreve o problema de uma forma abrangente e apela à ação de todos os decisores políticos com propostas que poderão fazer a diferença na vida das pessoas.” Para Sara Cerdas, acrescenta, aumentar a sensibilidade, reduzir o estigma e auscultar os cidadãos é essencial, motivo pelo qual propõe à Comissão Europeia a criação do Ano Europeu da Saúde Mental.

 

Os problemas de saúde mental afetam mais de 150 milhões de cidadãos europeus e uma em cada duas pessoas é afetada por uma doença mental ao longo da sua vida. Porém, apenas 50% daqueles com doença mental ligeira procura e recebe efetivamente tratamento. Prevenir os problemas de saúde mental, diagnosticar, identificar precocemente e combater o estigma, fazem parte dos objetivos do relatório hoje aprovado.

Comments


bottom of page